Telemarketing e Face To Face: como motivar a minha equipe

Existem algumas pessoas que são peças fundamentais para a aproximação entre os doadores e as causas para as quais eles doam. São aquelas que passam o dia todo no telefone conversando com você, ou que te param no meio da rua para poder falar sobre o efeito estufa e o aquecimento global. Mas, a pergunta que eu quero fazer é: será que elas estão motivadas o suficiente para conseguirem êxito em bater suas metas?

Para engajar da melhor forma possível essas equipes, precisamos prestar atenção nos pequenos detalhes. A motivação é algo que deve ser mantido vivo dentro de uma empresa, demonstrando que aquela pessoa é, afinal de contas, parte de uma ONG que tem a visão de mudar o mundo, deixando-o um lugar melhor!

 

Sendo Parte de um todo

O primeiro e mais importante passo a ser dado é fazer com que a sua equipe consiga se sentir como parte integrante da sua organização, como se ela fosse uma peça indispensável para a boa realização dos projetos elaborados. Em muitos casos, as pessoas que chegam até as ONG são voluntárias e já estão a par do que acontece no projeto.

Contudo, depois de um tempo, podem se sentir desmotivadas a atuarem na área do marketing. O segredo é demonstrar que você não trabalha com coisas superficiais. Demostre os valores, mostre o resultado daquilo que elas trazem para a ONG. Faça com que ela sinta que pode sim fazer a diferença!

Será que eles sabem sobre o que estão falando?

É importantíssimo que você reúna sempre o seu time e explique o que está sendo desenvolvido dentro da empresa, de modo que ele consiga assimilar as informações e assim, consiga dar conta de responder quando se é questionado, tanto na Captação Face To Face quanto através do Telemarketing.

É preciso desmembrar cada dúvida, mostrar cada vídeo, treinar da melhor forma possível o seu colaborador para que ele atinja a meta esperada e não demonstre amadorismo na hora da abordagem.

Saiba motivar da melhor maneira

Como o mercado é extremamente rotativo, não se consegue planejar a longo prazo. O ideal é que se pense numa recompensa mensal. E para isso, saiba analisar o perfil de colaboradores que você tem dentro do seu time.

Por exemplo, se você tem uma mãe presente na sua equipe, então pra ela, passar mais tempo com o filho seja uma boa opção. Já uma pessoa jovem, não casada e sem filhos, poderá responder melhor a outro estímulo, como um par de convites para a estréia de um filme nos cinemas.

Posso utilizar o dinheiro? Você até podem, mas segundo as ONG, é o incentivo que menos funciona. Basta ler o perfil: a pessoa está lá porque ela se identifica com a causa e não porque quer ganhar dinheiro com ela, entende? Este, por tanto, acaba sendo o retorno menos significativo de acordo com as estatísticas de recompensas.

Um por todos e todos por um

Sabe o lema dos três mosqueteiros? Ele é mais verdadeiro do que nunca! Quando você premia de forma individual, ao invés de incentivar você cria um clima de competição entre os membros, e isso não é legal.

Quando se promove o bem estar coletivo, dá-se a recompensa de modo coletivo também. Por isso, brindes que atendam a toda a equipe tem se tornando o principal diferencial. Aposte nessa alternativa!

Os mínimos detalhes

Tanto no FTF quanto no Telemarketing é preciso estar atento e acompanhar de perto cada evolução, observando o que está bom e o que não está, sempre com a intenção de torná-lo ainda melhor. É preciso analisar os dados de cada operador e as métricas que eles mesmos conseguem gerar.

Se você percebe que não está bem, está na hora de sentar ao lado e procurar o ponto de falha. O mesmo serve para as equipes externas. Dessa forma, o diálogo e o trabalho em equipe em prol da empresa sempre serão a melhor alternativa.