Filantropia no Brasil: do conceito de caridade à necessidade da assistência social

de maos juntas pelo brasil

Com o passar do tempo o Brasil passou a destinar um papel bastante peculiar para a filantropia, o de complementação. A máxima de fazer o bem única e exclusivamente pela questão humanitária, da benevolência e do bom coração, foi substituída pela necessidade de fazer o bem.

Basta olharmos ao redor, o terceiro setor ganhou, então, uma relevância ainda maior. Eis alguns exemplos.

A igreja

A caridade feita por instituições como a igreja, fortalecida pela caixinha que passa de mão em mão durante o culto religioso, hoje é indispensável em várias frentes. A igreja católica, por exemplo, é referência na acolhida e ajuda a refugiados.

O problema crescente da migração de cidadãos de seus países de origem por causa de conflitos e miséria causou outro problema: a absorção destes imigrantes pelos países de destino e a inclusão deles em políticas públicas.

Problema que está longe de ser solucionado, visto que temos quase 9 mil refugiados no Brasil e os pedidos de asilo só crescem. Em um país em que o governo não dá conta de atender a própria população, instituições filantrópicas estão fazendo o papel do Estado.

Hospitais filantrópicos

Outro exemplo da transferência da responsabilidade da assistência social que o poder público deveria prestar está na área da saúde. Hospitais filantrópicos hoje fazem as vezes de hospital público, atendendo integralmente ou em grande parte pelo SUS.

Só que esta atuação da filantropia no lugar do Estado também causa um problema. Estas instituições estão submetidas à defasagem de repasses do governo para a assistência médica. Elas recebem somente 60% do valor dos procedimentos, cirurgias e consultas.

Neste caso, a doação complementa a receita dos hospitais para que eles possam continuar fazendo o trabalho do Estado, que é de oferecer saúde digna a seus cidadãos. Em um país em que o governo não dá conta de atender a própria população, instituições filantrópicas estão fazendo o papel do Estado, mais uma vez.

Outras situações que o estado é falho

Olhando para o lado, vamos deparar com outras tantas situações em que o Estado é falho: drogadição, população de rua, infância, meio ambiente. Se olharmos para o outro lado, veremos uma instituição filantrópica tentando fazer caridade, porém complementando a assistência social que o Estado não dá.