,

Fife 2017: Saiba o que aconteceu pelos entrevistados

O FIFE 2017 aconteceu nos dias 4 a 7 de abril, em Foz do Iguaçu, e reuniu mais de 500 pessoas de todo o Brasil para discutir aspectos da gestão do Terceiro Setor e a transcrição do vídeo mostra u ótimo resumo do evento assim como esperar o que vem para 2018.

Entrevistas:

Thaís Iannarelli (Diretora-executiva da Rede Filantropia): O Fife ele já se consolidou como o maior evento de gestão voltado pra o terceiro setor pra as organizações da sociedade civil no Brasil e ele se consolidou dessa forma porque a gente se preocupa em trazer temas que realmente tratam de todas as áreas da gestão de uma organização.

Marcio Zeppelini (Presidente da Rede Filantropia): O terceiro setor é sempre uma mudança, né? Sempre a gente tem novidades, sempre a gente tem desafios novos e também oportunidades novas. A nossa equipe se empenha em trazer o máximo possível de inovação trazendo palestrantes novos, trazendo temas novos, temas atuais.

Aurimar Pacheco Ferreira (Palestrante Paulus): É a possibilidade da… do surgimento de novas lideranças e substituição mesmo de alguns papéis e a criação de novas ideias. Esse momento aqui, esse tipo de evento favorece.

Marcelo Estraviz (Palestrante – Instituto Doar): O fato de ter novidade todo ano é muito importante, né? De ter essa busca de pessoas novas ou temas novos sendo colocados.

Camila Cheibub Figueiredo (Palestrante – Neurônio): Participar do Fife é uma super oportunidade pra qualificar o nosso trabalho. Dão muitas palestras que vão trazer ferramentas e informações pra ajudar a gente a atender melhor o nosso público.

Marciele Dallastra Torres (Plataforma Êxitos): Demonstrar para as entidades participantes o que que tem de disponibilidade hoje que atendem ao perfil delas.

Felipe Saboya (Palestrante – Instituto Ethos): Eu acho que as organizações devem sempre olhar pro que tá acontecendo na sociedade brasileira e perceber qual é o seu papel e qual é a sua prioridade de ação naquele momento.

Eduardo de Oliveira Filho (Participante): Temos que estar também nos renovando, nos reciclando, né? Vendo as novas tecnologias e a possibilidade sempre de melhorar o nosso processo, né? A nossa atuação.

Janaína Rodriguez Pereira (Participante): É de suma importância que as instituições busquem capacitação, busquem profissionais mais alinhados com os seus objetivos, né?

Simone Paulim (Participante): Tô encantada, assim, achei uma organização incrível, altíssimo nível. Aprendi muita coisa e pode ter certeza que ano que vem estou aqui de novo.

Gonzalo Ibarra (Palestrante – Gia Consultores): Definitivamente Fife es un foro que se proyecta como el principal foro dentro de la región de Latinoamérica para compartirlos con el resto de la región Y, porqué no, con el resto del mundo.

Rodolfo Fücher (Palestrante – Microsoft): Eu fiquei muito feliz e até honrado em poder participar do Fife porque a gente entende que o terceiro setor tem uma situação extremamente complicada de recursos financeiros. Por isso que uma das preocupações da Microsoft e colocar essa tecnologia de ponta sem custo nenhum ao terceiro setor.

João Ricardo Pombeiro (Palestrante): Eu creio que este fórum tem uma capacidade tremenda de potenciar e lidar com potencias e mais-valias e mais conhecimento.

Darian Rodriguez Heyman (Palestrante – Numi Foundation): I hope my talk here at the conference on some of my top fundraising tips will be helpful. And I’m just really honored that Philanthropy asked me to work with them on the translation project and also to be here for the conference.

Leila Navarro (Palestrante): O terceiro setor é a grande mudança, ele é a grande revolução. Ele tem um outro olhar que é o olhar que eu expliquei aqui, do “e”. Eu e você vamos conseguir isso juntos, vamos fazer isso juntos.

Wellington Nogueira (Palestrante – Doutores da Alegria): A área social é gregária, então a gente tem muita ideia e insight quando a gente tá junto no mesmo playground. E o Fife é esse playground itinerante que junta todo o mundo e a gente faz relações que podem ser muito duradouras e inspiradoras pra nós.