Entenda a importância das ONGs na educação infantil

ação de proteção à criança

Devido à limitação governamental em atender a todas as demandas sociais e culturais no Brasil, a importância das ONGs na educação infantil se tornou ainda maior com o passar dos anos.

Pessoas preocupadas com o desenvolvimento do país e com a melhora das condições de vida das crianças e jovens têm contribuído com competência e perseverança para suprir esse vácuo educacional. A atuação de ONGs no setor da educação se mostra como um investimento a longo prazo em uma sociedade mais igualitária e justa, contribuindo para a formação de jovens cidadãos e conscientes.

São apoios que demonstram a relevância da atuação dessas entidades filantrópica para a redução da violência, ampliação do nível de desenvolvimento humano e também a melhoria imediata da vida dos brasileiros. Entenda agora porque essas ONGs causam tanto impacto na sociedade!

O impacto das ONGs para o Brasil

Nos últimos 20 anos as entidades filantrópicas, sem fins lucrativos e não-governamentais se multiplicaram, gerando impactos em todos os setores sociais e culturais que estavam sofrendo com o descaso do poder público.

A fim de solucionar situações emergenciais, mas também de promover impactos mais profundos, as ONGs, com o caráter de sociedade civil organizada, assumiram uma posição importante no país.

Passaram a contribuir efetivamente com o desenvolvimento do país, promovendo atitudes sustentáveis e visando a garantia dos direitos básicos da vida, como saúde, moradia, cultura e, claro, educação.

A relação das ONGs e o setor público

O atual momento sócio-econômico brasileiro demonstra uma má eficácia do investimento governamental em educação. Aqui o destino do PIB (Produto Interno Bruto) à educação é de apenas 4,9%, segundo o relatório Education at a Glance produzido pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que analisa os gastos públicos com a educação ao redor do mundo.

O desafio brasileiro na educação pública ainda é grande e está distante de atingir um modelo educacional que vise o desenvolvimento da criança de forma integral.

Esse contexto demonstra como o poder público está limitado a atender as condições básicas das escolas, impactando em um serviço mais escasso, onde muitas escolas não podem fornecer um contraturno, por exemplo.

A importância das ONGs na educação infantil

É aí que entram as ONGs que, em parceria com a instituição pública, contribuem com soluções que impulsionam o desenvolvimento humano no país.

De certo ponto de vista, todas as atividades promovidas pelas organizações sem fins lucrativos são educacionais, já que promovem a conscientização dos direitos básicos e também asseguram as condições mínimas de dignidade à população com a qual atua.

Mas na educação infantil, as ONGs amplamente reconhecidas como “educacionais” visam, além disso, fornecer suporte à práticas de aprendizado que permeiam o mundo escolar gerido pelo poder público.

Assim, sem suprimir a relevância do investimento público no setor educacional, essas ONGs educacionais atuam suprindo necessidades imediatas que impactam futuramente no bom desempenho dessas crianças, com o fornecimento de produtos básicos e também com trabalhadores voluntários que auxiliam essas crianças.

De forma geral, permitem que crianças e adolescentes tenham um crescimento digno e que esse acolhimento sirva como forma de afastá-los de práticas nocivas à um desenvolvimento saudável, como a situação de rua, o envolvimento com o tráfico de drogas, a prostituição ou ainda o abuso do trabalho infantil.

Formas de atuação

As organizações que se consideram educacionais visam promover os direitos básicos da criança, que são, além da educação formal, o acesso à cultura, ao esporte, ao lazer, à liberdade, ao respeito, à dignidade, à formação profissional, à convivência familiar e comunitária, entre outros.

Assim essa relação entre ONG e educação se dá por meio da elaboração de atividades voltadas à ampliação do conhecimento e desenvolvimento infantil como teatro, esportes, apoio ou reforço escolar, ensino de tecnologias e meios de comunicação, práticas ambientais conscientes, entre outras.

Algumas instituições visam influenciar, por exemplo, o hábito da leitura, como as bibliotecas itinerantes ou solidárias e os projetos de contação de histórias. Outras, como a Flupp, demonstram a importância das ONGs na educação infantil ao sanar necessidades básicas de projetos de atuação no setor.