Beneficente ou beneficiente? Como se escreve certo?

Afinal de contas, eu devo escrever beneficente ou beneficiente? Eis a dúvida que surge para muitas pessoas na hora da escrita ou da pronúncia. Quando vamos escrever Organizações Sem Fins Lucrativos, geralmente abordamos o quanto ela é beneficente para a sociedade e para as pessoas que participam desses projetos como forma de voluntários. Mas é assim mesmo que escrevemos: be-ne-fi-cen-te?

Sim, é exatamente assim: beneficente. A palavra beneficiente não existe em nossa gramática coloquial. É um erro muito comum, tendo em vista as palavras e seus fonemas.

Quando devemos usar o adjetivo beneficente?

Sempre que a gente desejar exprimir que uma pessoa ou instituição pratica o bem, a beneficência em pró de outra pessoa, ou seja, sempre que alguém ou alguma coisa faz caridade ajudando a quem precisa, devemos dizer que essa pessoa ou instituição é beneficente.

Dizemos, geralmente, quando vamos a alguns eventos sem fins lucrativos, onde a verba será doada integralmente para uma instituição filantrópica. Podemos então dizer que a palavra beneficente quer dizer caritativo, caridoso, filantrópico, humanitário, benéfico, benfazejo, benevolente, entre outros sinônimos.

Exemplos para clarear:

– Como esse jantar beneficente está maravilhoso! Eles conseguiram bater a meta de arrecadação.

– Está instituição beneficente ajuda os moradores de rua todos os anos com roupas no inverno e comida quentinha.

Origem da palavra Beneficente

Assim como a maioria das palavras do nosso vernáculo, ela tem sua origem fundamentada no latim beneficente, sendo dessa forma, com “em” na quarta sílaba: be-ne-fi-cen-te. Não tem, nesse momento, o “cien”. Outra palavra que dela deriva “beneficência” também vem escrita com “cen” e não “cien”.

Fora isso, na nossa amada língua portuguesa, normalmente utiliza-se a vogar “i” no ditongo “ei”, formando dali várias palavras: manteiga, chaveiro, cabelereiro, etc. Contudo, existem algumas palavras que acabam fugindo a essa maneira de escrita e por tal, não formam um ditongo: bandeja, caranguejo, beneficente, etc.

A palavra beneficente é classificada como um adjetivo uniforme, ou seja, aqueles que apresentam dois gêneros mas que sempre são apresentados de uma mesma forma, quer no gênero masculino, quer no gênero feminino: o almoço beneficente/a festa beneficente.

Observação: todos os adjetivos que foram terminado em “e” são adjetivos uniformes: doce, trite, leve, pobre, beneficente, competente, indecente, entre outros.