Afinal, o que quer dizer Captação Face-to-Face?

Você já deve ter ouvido falar por aí sobre a Captação Face To Face, mas afinal de contas, o que será que ela quer dizer? No que ela consiste? Por que muitas ONGs estão aderindo a sua forma? São várias perguntas que nós iremos responder para você compreender no que ela consiste e entender a mágica que há por trás.

Quando falamos de Captação Face to Face, estamos falando de conexão humana. Ele modelo de captação de recursos financeiros fora criado pelo Greenpeace, em meados dos anos 90. Depois, com o tempo, acabou se espalhando para demais países, até que chegou (com força) nas ONG aqui no Brasil. E o mais legal: não importa o tamanho da sua ONG, o F2F está aí e pode ser utilizado sem problema nenhum!

E então, você vai me perguntar: mais porque motivos a conexão humana é o principal motor que fazer girar o F2F? E então eu vou te responder: nesse modelo de captação, os captadores se predispões a sair às ruas e mantém contato direto com as pessoas, olho no olho “Face na Face ” (entendeu a origem no nome?).

Eles conseguem explicar de forma convicta e muito mais confiante o que é a ONG, quais são os projetos dela, quais são os seguimentos que ela aborda, quais são as formas de ajudar… Enfim. Aquele contato frio, por telefone, que muitas pessoas nem atendem foi substituído por alguém que te olha nos olhos, que sente o seu calor, que está ali com vídeos, com gráficos sobre os projetos e que consegue lhe passar toda a segurança do mundo para colaborar com as causas sociais dela!

Face To Face na prática: entendendo melhor

Você está andando na rua, indo encontrar os amigos depois do trabalho. Então, alguém com um colete uniformizado se aproxima de você, pedindo um minuto da sua atenção para que você possam conversar. Se por algum acaso você aceitar o papo, vai perceber o que é aquela instituição que ele está explicando, qual o seu principal projeto social e a sua relevância perante a comunidade.

E, por acaso, pode ser que os ideais daquela ONG batam com os ideais que você acredita! Então, dessa maneira, você irá se propor a ajudá-los de alguma forma. É nesse momento que o captador da ONG irá perguntar se o seu desejo é contribuir apenas uma vez ou se tornar um doador fixo. Veja que tudo isso está acontecendo na rua, enquanto vocês estão juntos, enquanto ele consegue passar a credibilidade, o sentimento, a verdade na voz dele.

E é exatamente assim que ele age: nas ruas, em diálogo aberto com as pessoas. Por isso é tão rico! Por isso vem dado muito certo. Por que o brasileiro é um povo que se une e que está acostumado a ajudar ao próximo. Quando ele vê sentimento, vê verdade naquilo que está sendo dito, então ele contribui. Mensalmente ou com o que tem no bolso talvez… Mas contribui. E é aquele ditado: de grão em grão a galinha enche o papo.

Os captadores são a voz da ONG nas ruas, nas empresas! Eles expressam o que ninguém mais consegue, o que vídeo nenhum, e-mail nenhum consegue: que é o sentimento. Se, por algum acaso, você ainda não testou essa forma de captação, chegou a hora!

Mas atenção: lembre-se que ele será o representante da sua ONG. Ele precisa saber exatamente tudo, todos os projetos e se preparara da melhor forma possível para as perguntas que irá ouvir. Quanto mais ele se apropriar do conteúdo, mais confiança e verdade ele será capaz de transmitir.

E você, já utilizou o F2F? Conta pra gente como foi a sua experiência!