Afinal de contas, o que é o Terceiro Setor?

Impossível falarmos de ONGs sem falarmos sobre o Terceiro Setor. Mas, afinal de contas, o que é? Quem o representa? Como se define? Se você também não sabe, esse artigo foi feito especialmente pra ti.Chamamos de Terceiro Setor aquilo que é composto por fundações e por associações que geram um bem ou um serviço de atendimento ao público, mas sem a visão de lucro que as empresas privadas possuem. Eles são reconhecidos por suprirem as falhas do Estado: estão atendendo aquelas pessoas que estão desassistidas pelo ente federado. É como se ele fosse a junção do direito público com o direito privado: o dinheiro privado ajudando as necessidades do público.

Isso não quer dizer que o público também não deva assistí-lo. Deve! Mas ele só poderá fazê-lo quando estiver dentro do Marco Regulatório, garantindo o acesso a população a esse repasse de verbas.

Descubra o que muda com o marco regulatório do terceiro setor

As organizações que compõem o Terceiro Setor são criados na livre vontade e iniciativa, sempre de maneira voluntária. Eles realizam práticas de filantropia, caridade, proteção à natureza além de almejar alcançar diversos objetivos públicos e sociais, como a inclusão e a conscientização. Seu objetivo? Simples: melhorar a qualidade de vida do povo brasileiro.

Contudo, não podemos pensar que o Terceiro Setor deverá suprir a demanda do Estado. Ele é apenas uma ferramenta que permite complementar esse auxílio, atuando como um mediador para aqueles que precisam, mas não tem. Essa parceria gera frutos positivos e permite a mobilização social.

Atributos Estruturais dessas Organizações

Alguns requisitos precisam acontecer. São eles:

  • Não Governamental: elas não podem, de forma alguma, estar ligadas a órgãos governamentais.
  • Própria Gestão: elas não podem ser controladas de modo externo, mas sim, realizando sua própria gestão interna.
  • Não ter finalidade lucrativa: essas organizações não têm a visão do lucro, exercem essa gestão de forma solidária, filantrópica.
  • Constituídas formalmente: são institucionalizadas, possuindo uma regra, procedimentos e uma formalização para existir.

Outros setores brasileiros

Primeiro Setor: é aquele setor que tem a sua representação no governo, que é o grande responsável pelas questões sociais, seja essa na gestão do dinheiro público ou seja essa para sua utilização.

Segundo Setor: aqui, temos a representação por empresas privadas, que são responsáveis por gerir os interesses individuais. Usam o dinheiro privado para fins privados e ainda possuem a visão do lucro.

Papel do voluntário para o Terceiro Setor

A principal ferramenta do Terceiro Setor é o voluntariado. Como eles não têm finalidade lucrativa, eles dependem de doações (públicas e privadas) e de pessoas que cedem suas mãos de obra para trabalharem nessas ONGs, de forma gratuita, voluntária.

Quando você decide se voluntariar, você está decidindo se dedicar aos desenvolvimento social, visando oferecer o seu conhecimento e ajuda àqueles que precisam dela, tentando transformar a realidade daqueles que mais precisam. Geralmente, o voluntário é visto como um professor. Exige-se muita dedicação e amor às atividades elaboradas. Por isso é importante que você esteja alinhado com a visão da ONG que escolheu trabalhar.

Caso você deseje colaborar, veja ONGs em São Paulo que precisam de voluntários.