Por que ser um voluntário?

O trabalho voluntário vem chamando a atenção das pessoas há muito tempo. Algumas pessoas dizem que é uma nova tendência de emprego. Outros acreditam que são novos tempos, que as pessoas estão se tornando mais empáticas aos problemas dos outros e tornando-se mais amorosas.

Seja como for, do Greenpeace até mesmo aquela ONG formada por moradores do bairro para tirar gatinhos abandonados das ruas, todas elas precisam de uma coisa: voluntários. OS trabalhos só são possíveis quando há pessoas que acreditam nas causas apresentadas pelas ONGs e lutam ao lado dela, defendendo seus ideais. Eles são os verdadeiros agentes e transformadores da realidade.

O que é trabalho voluntário?

Podemos chamar de trabalho voluntário todo aquele em que a pessoa se prontifica a fazer de modo não oneroso (gratuito). Pode ser por algumas horas durante a semana, pode ser todo o dia, pode ser uma vez por semana, uma vez a cada 15 dias… Do jeito que ficar melhor para o voluntário! Desde que haja comprometimento com a causa e com as pessoas que estão indo lá para aprender com você.

Causas e programas são o que não falta. Pode ser nos padrões tradicionais, como aquele em que você vai até a ONG e ensina a crianças a ler e a escrever. Ou pode ser aquela reunião entre amigos para fazer um sopão e distribuir às pessoas em situação de rua. Você provavelmente já deve ter ouvido falar de Chico Xavier, certo? Ele tem uma frase pertinente: “Fora da caridade não há salvação”. É exatamente isto que é o trabalho voluntário: caridade. É você doar o seu tempo em prol de outra pessoa, para fazer o bem a outra pessoa, sem receber dinheiro em troca.

Mas porque ser voluntário? Qual a vantagem disto?

Responda a uma única pergunta: que razão alguém precisa do para fazer o bem do que o exercício do próprio bem? Sim, infelizmente é muito comum encontrar pessoas que falem: “Trabalhar de graça? Nunca!”. E nós lamentamos por elas.

São atitudes assim que faz uma pessoa ver uma criança passando frio, fome, comendo restos que estão no lixo e simplesmente virar o rosto. Não causa comoção. A pessoa não consegue de importar com mais nada além dela, além do que está em sua volta. E a vida tem um jeito estranho de mostrar para a gente sobre o que ela é de verdade…

A vida não é tão bonita e intensa quanto vemos nos comerciais de margarina. Há muita violência, negligência, e esquecimento por aí. É preciso união, é preciso compaixão. E é isso que o trabalho voluntário faz.

São uma ou duas horas do seu dia, ou apenas da sua semana em que você se dedica para fazer o bem ao próximo. E esse bem é tão grandioso, maravilhoso, que ele volta para você. Você se enche de luz, de energia boa. Parece que você é um super-herói, que nada e nem ninguém vai te destruir. É como se você pudesse mudar o mundo! O que ninguém te contou é que sim, você pode mudar o mundo. Seja um voluntário! Procure o Centro de Ação Voluntária da sua cidade ou a ONG que você tenha mais afinidade e liste-se.

Faça a diferença na vida de outras pessoas que precisam de você e, assim, faça a diferença na sua própria vida.