A importância da contabilidade para as organizações do terceiro setor

A sociedade civil é dividida em três setores, onde o primeiro é o governo, o segundo é representado pelas empresas privadas e no terceiro setor ficam as associações sem fins lucrativos.

Este último é o setor que mais contribui com as classes emergentes, através da coleta de doações eles trabalham agindo em diversos setores onde há carência social. Esse tipo de ação é de grande importância para o desenvolvimento dessa classe mais pobre.

O terceiro setor é constituído pelas ONGs (organizações não governamentais) e OSCIPs (organizações da sociedade civil de interesse público).

Essas organizações como qualquer setor público em funcionamento necessitam de organização técnica, elas geram gastos seja com instalações físicas, telefones, funcionários que nem sempre serão voluntários entre vários outros insumos.

Para suprir estes gastos, as entidades filantrópicas se utilizam de meios para arrecadação de dinheiro, a grande maioria deles é baseado em doações feitas por pessoas físicas, empresas e por colaboração governamental.

Para tanto é necessário que as contas sejam organizadas de maneira regrada havendo assim um setor que manterá a transparência dessa contabilidade. Um trabalho bem feito nesse setor gera credibilidade para qualquer entidade, trazendo cada vez mais doadores, já que há essa preocupação em demonstrar como o dinheiro do doador está sendo utilizado.

A contabilidade no terceiro setor

Existe uma lei para definir a base da contabilidade neste setor, chama-se Leis das Sociedades por Ações – Lei 6404/1976.

A contabilidade nas entidades filantrópicas é bem semelhante a de uma empresa normal que visa lucros. A única diferença vai se encontrar nas nomenclaturas, enquanto o patrimônio de uma rede privada é chamado de líquido no terceiro setor se chamará patrimônio social.

Balanço patrimonial – basicamente situa a empresa em uma posição de forma estática de acordo com os bens que possui.

Demonstração de superávit ou déficit do exercício – Para uma empresa com fins lucrativos o nome seria “lucro ou prejuízo do exercício” e o seu objetivo é evidenciar as atividades desenvolvidas pelos gestores que tenham sido exercidas em determinado período.

Demonstrações das mutações do patrimônio líquido social – É um complemento dos termos anteriores, serve para explicar alguma eventual mudança que ocorra no momento dessas prestações.

Demonstração das origens e aplicações de recurso – é o demonstrativo responsável por registrar e tornar público como se originaram os recursos e onde eles foram aplicados.

A transparência das origens e como são aplicados os recursos

Todos os recursos recebidos precisam ser registrados assim como a finalidade dada a cada um deles, sendo que no terceiro setor esse trabalho se faz ainda mais necessário, já que a prestação de contas para os órgãos de fiscalização devem apresentar claramente todas as informações e validações dos resultados.

Qualquer outro setor ou mesmo pessoa física que quiser investir em alguma entidade, procurará por aquela que possui a prática de publicar relatórios anuais e fazer demonstrativos públicos periodicamente de sua contabilidade, dessa maneira eles estarão seguros de estar investindo em projetos sérios que realmente atuam junto a sociedade.

E a única maneira de se manter essa transparência é mantendo um setor contábil eficiente a serviço da instituição, e é por isso que realmente importa a contabilidade para o terceiro setor.